8 de maio de 2017

Resenha - Darkmouth: Os Caçadores de Lendas




Titulo: Darkmouth: Os Caçadores de Lendas (Darkmouth #1)
Autor: Shane Hegarty
Editora: #irado (Selo Novo Conceito)
Nº de paginas: 336


Elas estão chegando! As Lendas (ou melhor, monstros aterrorizantes que se alimentam de humanos) invadiram a cidade de “Darkmouth”. Elas querem dominar o mundo. Mas não entre em pânico! Finn, o último dos Caçadores de Lendas, vai nos proteger. Finn tem doze anos, adora animais, não leva muito jeito para lutar; mas é muito, muito esforçado. E todos nós sabemos que ser esforçado é a melhor arma contra um Minotauro faminto, né? Hum... Pensando bem, pode entrar em pânico. Entre em pânico agora! Corra!

Nesse livro existem dois mundos. O mundo dos humanos e o mundo dos monstros (ou Lendas, como eles são chamados). Para proteger os humanos, cada cidade possui seu Caçador de Lendas. É dever dele cuidar das cidades e seus habitantes, assim como acabar com as Lendas. Tal "emprego" é passado de geração em geração, de pai para filho. A família de Finn protege Darkmouth há muitos anos das terríveis (às vezes nem tanto) Lendas. E agora chegou a vez dele se tornar um Caçador. O único problema é que nosso jovem não tem muito jeito para a coisa.

Tinha bastante tempo que eu não lia um livro infanto-juvenil tão divertido. Eu acredito que fantasias desse gênero precisam encontrar um equilíbrio entre humor, aventura e os dramas da vida de maneira sutil para não parecer algo forçado. E Darkmouth consegue isso com bastante destreza.

"Eu só escuto falar sobre as coisas incríveis que você fez quando tinha a minha idade. Você derrotou tal Lenda. Você inventou tal arma. A menos que tenha uma história que termine com você caindo em uma privada ou algo assim, elas não vão fazer com que eu me sinta melhor agora."

A narrativa do autor é muito leve e simples, o que é ótimo para o público-alvo desse livro. Ele consegue nos inserir dentro da história e nos fazer sentir as emoções dos personagens. Eu diria que a escrita dele é algo carismático, com cenas bem descritas e balanceadas. A carga de tensão e diversão é na medida certa, fazendo a história ficar cada vez mais divertida e interessante. Além disso, os capítulos são bem curtos, o que torna a leitura bem mais rápida.

Os personagens têm vozes únicas, caracterizando cada personalidade da melhor maneira possível. Até mesmo os personagens secundários são muito bem construídos. Finn, o protagonista, é muito diferente de seu pai. Ele não se vê na pele de Caçador, muito menos leva jeito para a profissão. Por conta disso, ele vive à sombra do pai, que é um Caçador incrível. Os dois são pessoas extremamente diferentes, dando um contraste na relação entre eles, que é basicamente o principal foco de conflito na história.

Outra coisa muito legal é a ambientação. Darkmouth lembra uma daquelas vilas vikings (apesar de não ser viking) bem pequenas, no estilo "Como treinar seu dragão", onde acontecem coisas impressionantes e cheias de aventuras. O autor consegue dar vida a uma nova cidade, detalhando cada parte dela com muito cuidado, proporcionando ao leitor a capacidade de imaginar a cidade por inteiro. Eu, particularmente, gosto muito mais das fantasias infanto-juvenis concentradas em pequenas cidades, do que das repletas de batalhas de espadas. Então, achei o clima criado para a trama muito bom mesmo.

“A cidadezinha de Darkmouth aparece em poucos mapas porque pouquíssimas pessoas querem encontra-la. E, quando aparece em um, sua localização está sempre errada. Está um pouco ao norte de onde deveria, ou um pouco ao sul. Um pouquinho para a esquerda ou um pouquinho para a direita. Um pouco fora do lugar.”

O único ponto negativo, na minha opinião, foi o plot twist. Não teve nada de surpreendente. Talvez, por ser voltado para o público infanto-juvenil, o autor tenha preferido manter essa linha previsível mesmo. O que eu não acho tão legal, tendo em vista que boa parte desse público também acharia algo fraco e sem surpresas. Em contrapartida, passado as reviravoltas, a história fica mais instigante e surpreende em boa parte, deixando um cliffhanger bem interessante.

Enfim... Darkmouth foi uma leitura que me surpreendeu de diversas maneiras. É uma história agradável, leve, bem escrita e super divertida e emocionante. Espero que a continuação saia logo porque com certeza quero saber como as aventuras de Finn vão se desenrolar.


13 comentários :

  1. Oiê!
    Adoro livros infanto-juvenis e gostei bastante de sua resenha. Não conhecia a história e, ela parece mais do mesmo, só que o fato das personagens terem vozes únicas, me chamou atenção, logo, dica anotada!
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá, esse gênero não me atrai muito e eu achei a premissa meio clichê, monstros e lenda se tornaram algo escasso de conteúdo, na minha opinião...
    Dessa vez vou passar a dica.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Me lembrou bastante Caverna do Dragão, parece ser um livro que dialoga bem com o público-alvo. Valeu a dica

    ResponderExcluir
  4. Olá! Amo livros assim e não conhecia esse. Gostei do que disse que lembra as vilas Vikings ahaha adoro! Vou colocar na minha lista. E como você disse sobre o plot twist ser previsível,espero relevar isso. Mesmo assim vou ler.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. OII!!

    Gostei do enredo, dos protagonistas e da aventura. Mesmo sendo um gênero infanto juvenil leria sem problema algum. Cada frase da sua resenha me deixava mais motivada a descobrir mais sobre a obra, sobre o relacionamento de pai e filho e sobre o fato do protagonista ser desastrado. Enfim, obrigada pela dica e realmente me senti interessada. beijos!

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?
    Amo livros nesse estilo, que trazem muitas aventuras e personagens cativantes!
    Lembro dos livros que lia na infância e adolescência!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Gostei bastante da capa. Mas a história não me atraiu, talvez porque estou na vibe de ler terror, terror e terror rs
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Oi, Helena Paola? rs. Eu gosto bastante de infanto junevis. Sempre me divirto lendo, pois lembro a epoca em que comecei a me aventurar por esse mundo da literatura. Gostei dos pontos que vc destacou e principalmente da ambientação, e todo esse cenário lembrar as vilas Vikings. Gosto de livros que me dão essa sensação de estar em um lugar bem distante e em outro tempo, com certeza leria! Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Olá!

    Não faz meu gênero, ainda mais por ser juvenil, prefiro livros mais maduros. Mas obrigada pela dica, com certeza parece ser uma boa história.

    ResponderExcluir
  10. Olá Helena, tudo bem??
    Bom são poucos livros que leio nesta temática e quando é infanto juvenil, prefiro quando são distópicos... mas achei a história interessante para a minha filha que gosta deste tipo de aventura. Ótima dica. Xero!

    ResponderExcluir
  11. Apesar de estar fugindo um pouco do infanto-juvenil (acho que tive super dosagem de PJO), achei a história desse livro bem interessante e até divertida. Com certeza, um caçador que não leva jeito pra coisa deve dar boas histórias. Pena que as reviravoltas foram comuns p vc. Anotei a dica e espero ler em breve! bj!

    ResponderExcluir
  12. Olá! Curti a premissa, gostei bastante dos quotes. Parece ser uma leitura bem divertida e gostosa. Fico imaginando o quanto deve ser um fardo para ele ter que proteger a cidade e não ter talento para tal. Dica anotada, beijos!

    ResponderExcluir
  13. Olá Helena,
    Ainda não li esse livro, mas adoraria ler. Adoro essas histórias mais jovenzinhas que parecem conquistar o leitor. Mesmo o livro não tendo um plot twist tão surpreendente, acho que é uma leitura que vale muito a pena ser feita e vou anotar a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir